ITÁLIA, ROMA, VIAGEM

O que ler antes de ir à Roma?

29 de outubro de 2018

Antigamente, quando eu tinha uma viagem programada, a primeira coisa que fazia era correr para uma livraria e comprar um guia tradicional de viagens. Com a experiência percebi que esses guias serviam apenas para aumentar o peso da minha bagagem e, de quase nada valiam para o meu estilo de viagem.

Eu gosto de histórias. Gosto de me sentir conectada ao lugar que vou visitar. E mesmo que hoje na internet existam muitas experiências compartilhadas, nada como os livros para me levar em uma viagem antecipada e detalhada daquele pequeno pedaço de mundo que anseio conhecer.

Existem muitas maneiras de se planejar uma viagem. Há quem foque apenas nos pontos turísticos, há os que gostam de visitar bons restaurantes, os que gostam de compras… Sempre que eu planejo minhas viagens tento unir a minha curiosidade ao conhecimento, buscando saber o que cada local realmente representa. Acredito que assim eu consiga ver tudo com um olhar mais atento e até um pouco crítico. Sem dizer que viver tudo que eu li, reli e imaginei tem um gostinho muito mais especial!

Selecionei alguns livros sobre Roma para ajudar você a mergulhar no planejamento da sua viagem e sentir a real essência da cidade eterna!

Boa viagem. Na leitura? Também!

 

| I love Rome

Eu acho esse livro incrível! Escrito pelo romano Claudio Colaiacomo que durante anos estudou a história da Roma antiga e moderna. Além de I love Rome, é autor também de Il giro di Roma in 501 luoghi, Roma perduta e dimenticata, que também valem a leitura!

Aqui você vai encontrar histórias bem inusitadas sobre alguns personagens de Roma, como a estátua falante Il Pasquino, na qual eram colados, em épocas passadas, folhetos com conteúdos satíricos dirigidos a personagens públicos importantes, como o Papa.

Ou ainda Bartolomeo Patacca, um valentão do Trastevere, personagem lendário protagonista da opera homônima, escrita em romanesco (dialeto romano), no século XVII, por Giuseppe Berneri.

Ele também fala de lugares mágicos, secretos e desaparecidos. Mistérios não resolvidos. As tradições, os artistas, curiosidades e lendas populares, mostrando a cidade eterna como você nunca viu antes!

 

| Comer, Rezar e Amar |

Ok não é uma leitura super histórica e aprofundada sobre a cidade. Mas é tão delicioso viajar por Roma através da sensibilidade de Liz Gilbert. Você pode ver o filme, mas acredite, não é a mesma coisa. Por isso, se eu puder lhe sugerir: faça os dois! Leia o livro e depois, veja o filme.

Talvez o que eu considere mais profundo nessa leitura é a maneira como a personagem se conecta à cidade pelo momento que ela está vivendo (a ruptura não só do casamento, mas consigo mesma). Eu vejo a estória um pouco além das fartas garfadas em macarrões, pizzas e sorvetes. A maneira que ela se conecta com a cidade de maneira reflexiva e profunda faz com que eu, por exemplo, queira ir muito além de apenas visitar um ponto turístico lotado de pessoas, fazer algumas fotos e nunca mais lembrar daquele lugar.

Quando fui na Fontana di Trevi na minha primeira viagem à Roma eu tinha 25 anos e poucos centavos no bolso. Na época não existia internet no celular e o meu único guia era aquele mapinha de papel que encontrávamos no aeroporto. Estava perdida tarde da noite pelas ruelas (maravilhosas!) da cidade quando, ao virar em uma ruazinha dei de cara com todo o esplendor daquela fonte magnífica.

Parei. Ali mesmo. Observando a fonte emoldurada pelos prédios de uma ruazinha que me convidava a seguir em frente. Lembro de abrir a boca e balbuciar um nada sonoro UAU. Enfiei o mapa no bolso do casaco, segurei minha mochila mais próxima ao corpo (que àquela hora já pesava um bocado) e fui seguindo, a passos lentos, vendo aquela cena se aproximar de mim aos poucos.

Eu não sabia a história dela. Não tirei nenhuma foto. Mas me conectei com todo seu esplendor e fiz, o que quase todo turista faz: joguei minha moedinha. Era a única coisa que sabia que precisava ser feita (pelo guia gigantesco e desnecessário que carregava comigo).

Só que mesmo assim, no meu vazio, eu parei para observar o que sentia. O que aquele momento queria me dizer. Aquela água toda contornando as formas monumentais, entalhadas com perfeição naquele monte de pedra. A luz atravessando a água e quase atingindo o céu. O brilho da beleza! Mas talvez também de algo tenebroso que aquela fonte poderia esconder (como muitas coisas em Roma) e eu mal sabia. Imaginei histórias, vivi meu momento e fui embora, sabendo que era preciso um dia voltar.

Por isso leia Comer, Rezar e Amar. Esse livro vai lhe inspirar a parar um pouco e sentir. A deixar aquele papo de viagem “como conhecer Roma em 24 horas” e, mesmo que você só vá passar poucas horas na cidade, escolher um ponto dela para se conectar, de verdade.

Vale a pena. Você nunca mais vai esquecer esse momento (e nem vai precisar de foto para relembrar)!

 

| My secret Rome

Manola Costanzi é uma editora e ávida viajante. Domitilla Petriaggi é advogada. Ambas vivem em Roma e mostram nesse livro, dedicado as mulheres (mas claramente todos podem usar) – os lugares mais inusitados de Roma, como um spa criado dentro do cofre de um banco!

Mas o guia não se resume a lugares para relaxar e cuidar da beleza, ele fala também, por exemplo, do intrigante Palazzo della Scimmia com a eterna chama acessa em sua torre, o elevador de cristal do Altare della Patria e dos melhores locais para admirar o pôr do sol no Lungotevere.

Esse não é apenas mais um guia para que você possa aproveitar Roma pelas óticas de Manola e Dommitilla, mas um diário cheio dos segredos mais bem guardados das mulheres romanas, organizados de maneira clara e objetiva, além de estar lotado de curiosidades!

 

| Keep calm and passeggia per Roma |

Esse livro vale ser carregado durante seus passeios por Roma, pois ele te guia e acompanha em pequenas excursões cobrindo detalhes e curiosidades que só uma cidade como Roma é capaz de oferecer.

São itinerários especiais, com mapas indicando as proximidades do grupo de lugares que Claudio Colaiacomo, o mesmo autor de I love Rome, convida você a visitar com ele. São passeios para serem feitos com calma e tranquilidade, focando no que você pode admirar andando pela rua, permitindo que as belezas da cidade fluam diante de você!

Não são apenas monumentos, igrejas e pontos turísticos já mais que sabidos. Claudio, através desse lindo guia, vai ajudar você a se vislumbrar com Roma: centro, subúrbios, bairros históricos, da moda, prédios centenários e áreas verdes. Acredite, a cidade vai se revelando a cada passo, acompanhando o seu ritmo e assim, convidando você a conhecer uma nova Roma!

 

| O alimento do amor |

Eu amo histórias água com açúcar. De leitura fácil, que flue… Aquele livro para relaxar, sabe? Li O Alimento do Amor há muitos anos … Nossa, pode colocar muitos, nos muitos, ai. (Foi em 2006. Shiii, não conta para ninguém!)

O Alimento do amor é um romance bem docinho que conta a história do triangulo amoroso entre uma garota americana, Laura, e dois italianos (não, não estou falando de ménage): Tommaso (um simples garçom) e Bruno (um verdadeiro cozinheiro). No meio da história muitos sabores e declarações de amor em formas de deliciosas receitas!

É uma leitura deliciosa para se apaixonar e sonhar com todos os sabores de Roma!

 

| 101 storie su Roma che non ti hanno mai raccontato |

Se sua ideia de Roma é Coliseu, Fontana di Trevi e a cidade do Vaticano, você não conhece, profundamente, Roma.

Roma é feita de bairros, monumentos, vilas, museus, aldeias, restaurantes, parques… caos e calmaria. É uma cidade única de contradições que coexistem com o espirito alegre dos romanos. Você pode conhecer a cidade pela ótica barulhenta e caótica,como um passeio pelo centro histórico, ou pelo seu lado romântico, através de um lindo entardecer no Lungotevere de mãos dadas com seu amor (e um sorvete na outra mão).

Roma vive uma vida dupla, cautelosa, multiétnica e tradicional. Aqui, nesse livro, 101 histórias incomuns e emocionantes farão você descobrir o que a cidade de 3 mil anos esconde, desde um canto remoto de um subúrbio a uma viagem em um ônibus turístico. Quem são as pessoas que vivem, criticam, mas não deixam de amar Roma e todas as suas extraordinárias surpresas!

 

| 101 Trattoria e Osteria di Roma

Ninguém vai à Itália sem imaginar aquela refeição de sair com molho respingado na camisa ou os dedos com cheiro de pizza! Esse não é o guia mais perfeito para isso (sinto desapontar você tão repentinamente), mas a poesia dele é linda (detalhe para “Sacrilegio” de Aldo Fabrizi). Por isso não estou indicando esse livro como algo que você deva buscar para saber quais restaurantes vale ir. Ele não serve para isso, mesmo porque se trata de uma edição de 2011 (e as informações são de 2009) ou seja…

Mas é tão gostoso ler a visão das autoras sobre os restaurantes… mesmo que muitos nem existam mais!

 

| Quatro estações em Roma |

Quando eu morei na Espanha em 2007 comprei uma novela (livro) gigantesca em catalão. EM… CATALÃO! Só para deixar claro, eu não falo catalão. Esse livro se chama A Catedral do Mar (já traduzido para o português). É um livro superpremiado, rendeu série no Netflix em 2017… A história foi tão envolvente que acabei devorando o livro,  de quase 600 páginas, em menos de 1 semana. Tamanho meu amor por ele quis trazer para o Brasil, mas infelizmente não coube na mala. Acabei deixando com minha colega que ficou espantada ao me ver com um livro… Em catalão!

O que quero dizer é que histórias, mesmo que fictícias, podem nos ajudar a ver um lugar com um olhar muito mágico. Muito mais atento e sonhador. E por isso estou indicando Quatro estações em Roma!

Ele conta as memórias de um escritor que ganha um prêmio e toda a ajuda necessária para viver na Itália e escrever um livro por lá. É um relato intimo da visão de Doerr sobre a Cidade Eterna, sobre as dicotomias de Roma e sobre sua dificuldade em escrever um novo romance (e que na verdade lhe rendeu um Pulitzer de ficção sete anos mais tarde).

 

| Isto é Roma |

Minha última visita a Roma foi com minha filha de 3 anos. E eu quis muito que ela entrasse nessa etapa de planejar a viagem comigo, sentindo toda a vibração de encantamento e alegria!

Não é fácil encontrar títulos infantis, em português, sobre os diversos lugares do mundo. Lembro uma vez que a fotógrafa Erika Verginelli teve a mesma questão e, eu bem que fiquei de olho nas dicas das pessoas para ela, mas não surgiu nada na nossa língua.

Minha única opção mesmo foi Isto é Roma, do artista tcheco Miroslav Sasek, natural de Praga. A série “Isto é” surgiu quando ele, de férias em Paris, criou o primeiro título, “Isto é Paris”, em 1958.

Sua divertida poesia e suas encantadoras ilustrações retratam uma Roma do finalzinho dos anos 50. Logo você notará bastantes coisinhas de época, como as roupas e os carros, o que é delicioso de ver!

Mesmo após 60 anos e com os guias de viagens atuais, esse livro continua sendo uma obra imperdível, e não só para crianças. Infelizmente apenas 3 títulos foram traduzidos para o português (a série é bem extensa) e, com o fechamento da Cosac Naify em 2015, os títulos tendem a se esgotar e não serem reimpressos… por isso, eu indico que o adquira o mais rápido possível!

 

Que tal aprender mais?

Sem comentários

Deixe seu comentário