ITÁLIA, ROMA, ROTEIROS GASTRONÔMICOS, VIAGEM

Onde encontrar o melhor gelato de Roma | Ranking 2018

11 de outubro de 2018

| imagem Romeloft |

Gosto é algo totalmente relativo e depende de uma série de fatores. Em viagens, especialmente, tudo vai depender do seu estado de espírito. Percebi que criar um ranking para ajudar as pessoas a não gastarem suas calorias (e seus preciosos euros) em sorvetes ruins é algo extremamente subjetivo, mesmo com todo o conhecimento para reconhecer um bom gelato. Além do gosto pessoal, a experiência vivida no lugar tem um peso grande quando o assunto é definir o melhor, pois tudo precisa encaixar perfeitamente: clima, momento, expectativas, atendimento, local…

Pode ser que você tenha ido visitar a Fontana di Trevi e tenha detestado ver tanta gente amontoada e, quando resolveu se refrescar na San Crispino (que considero um dos (eu disse UM DOS) melhores sorvetes de Roma) sua experiência nem tenha sido tão boa assim. Ou pelo contrário, o sorvete salvou seu passeio! Mas também pode ser que depois de comprar um maravilhoso perfume da Profumum você tenha saído feliz da vida da loja e se esbaldado com um sorvete da Fatamorgana (que eu nem considero tão incrível…). Ou não… Depende! De tudo…

Sempre que vou a Roma eu tiro um bom tempo do meu dia para desbravar as sorveterias da cidade (as que considero imperdíveis e quero matar as saudades, as péssimas – pois sempre considero uma possibilidade de melhora, e as novidades), afinal estamos falando da cidade com maior número de sorveterias por metro quadrado!!!! Quando penso em uma boa experiência busco ir além da cremosidade e sabor do sorvete, afinal um péssimo atendimento pode sempre colocar tudo a perder… E em Roma ser mal atendido é mais que comum!

Por isso espero que esse top 3 possa ajudar você na busca por deliciosas e geladas experiências na cidade eterna. Porque ninguém merece viajar até a Itália para comer um gelato medíocre…

 

#Cremilla

Essa foi a maior prova de que precisamos estar abertos às surpresas que uma cidade nos guarda! Depois de passar na Lemongrass e novamente atestar que é uma das piores sorveterias de Roma, e na famosa Old Bridge, e ver que ela continua ruim, esbarrar com a Cremilla foi um acalento no meu gelado coração de sorvete!

A primeira loja abriu em 2016 no Mercato Centrale de Roma (que aliás é um lugar incrível para visitar) e a segunda, poucos meses depois, em Firenze. Em 2018 a primeira sede oficial abriu na Via di Porta Castello, entre o Prati e Borgo Pio, no coração de Roma.

Entrei na loja sem expectativa nenhuma, afinal em Roma eu fico sempre desconfiada com lojas fofinhas demais! E a Cremilla, além de vazia (tudo bem que era quase meia noite) tinha um cheirinho de novidade fortíssimo. Ou seja, meu alerta piscou!!!!

Pedi meu gelato com 3 sabores (por 3 euros – o valor cobrado em toda a cidade): Mediterraneo, Pera e Pistache (quando em Roma, faça como os romanos…) e Jesus, Maria e José! Não sei se foi minha energia vibrando enlouquecidamente mas a loja lotou em menos de 5 minutos após minha primeira e apaixonante lambida!

UM DOS MELHORES SORVETES DA MINHA VIDA! Perfumado, intenso e com uma textura que parecia que eu, na verdade, estava comendo a fruta fresca! O Mediterraneo foi uma agradabilíssima surpresa: amêndoas com laranja glaceada em micro pedacinhos e biscoito triturado na quantidade ideal para dar uma textura incrível para o sorvete. O de pistache também cremoso, intenso e saboroso (mas ainda assim prefiro o do Capitan Cono). E o de pera… Mamma mia! A textura idêntica da fruta… Sabe a textura de areia doce da pera? Pois é. Esse é o sorvete! Pura fruta! PURA FRUTA (sim, estou gritando histericamente!) !!!!

Os sorvetes são feitos com mais de 50% de frutas frescas e várias opções que favorecem o movimento Slow Food, utilizando amêndoas de Torito, pistache Stigliano (da pequena cidade de Basilicata, na província de Matera), avelãs de Nebrodi e os biscoitos Meliga.

Além dos sorvetes há espaço para os semifreddos em formato de lindos entremets e também waffles, panquecas, crepes, smoothies feitos com iogurte orgânico e milk-shakes com nomes inspirados em artistas famosos como Matisse e Mondrian. Aliás uma das vertentes que faz parte da identidade da Cremilla é a paixão pela arte: na primeira loja você vai encontrar criações de Nina Voluta e de Mauro Pallotta (o grafiteiro conhecido por seu mural do Papa Francisco).

| mil folhas com semifreddo de creme confeiteiro e frutas vermelhas – a nossa opção de “bolo” para comemorar os 90 anos da bisavó da minha filha em Roma |

Em termos de experiência a Cremilla é completa! Você pode voltar à loja inúmeras vezes pois opções para se deliciar é o que não faltam! Foi amor à primeira mordida, com certeza!

| mediterraneo, pistache e pera: 3 motivos para se apaixonar pela Cremilla |

 

#Capitan Cono 

Dificilmente você vai encontrar informações sobre a Capitan Cono pela internet. Mas se você procura uma sorveteria frequentada apenas por romanos essa é a pedida! É até estranho dizer que uma das melhores sorveterias de Roma, com uma das mais belas vistas (dela você vê a cúpula da Basílica de São Pedro) não tem fila na porta e tampouco é falada nos grandes guias… Talvez a falta de apreço estético seja um dos motivos para afastar turistas desavisados e aproximar apenas os moradores da vizinhança. Por isso fica a dica: siga os mais velhos! Se você encontrar vovós e vovôs romanos se deliciando com um gelato, sentadinhos em um banquinho na porta da sorveteria, entre!

O sorveteiro e dono da Capitan Cono, George C. Bianchi, foi nomeado em 2017 o 38° Cavaliere del gelato artigianale pelo secretário geral dell’Associazione Italiana Gelatieri, Claudio Pica. Ganhou o segundo lugar na primeira competição do Pistacchio D.O.P. de Bronte e é um dos coordenadores e professores da Accademia Gelato Artigianale Alberto Pica.

| a visão da cúpula da Basílica e o lindo céu azul de Roma |

Localizada na Via Porta Cavalleggeri a Capitan Cono produz sorvetes fresquinhos todos os dias e seus sabores mais populares são pistache (o melhor de toda Roma!), o Bianconiglio (amêndoa doce com geleia de laranja amarga e anis verde), o Fondente al marino moscato (um chocolate escuro com tangerina e noz-moscada) apresentado no Gelato Festival 2017 e o melhor de todos: Crema Gianduia feito com chocolate Perugina e uma receita própria de gianduia que leva 14% de avelãs! Tipo uma Nutella (só para você poder ter um comparativo) gelada! Chocolate e avelã em uma mistura densa, cremosa e perfeita… Basicamente parece que George tirou a “Nutella” do pote, colocou na máquina de sorvete e serviu na casquinha! É DIVINO! E eu que nem sou tão fã assim de gianduia me esbaldei como se não houvesse amanhã (ou balança!).

Para você realmente entender do que estou falando eu fiquei 5 dias em Roma e fui TODOS os dias na Capitan Cono, sendo que em um dos dias eu fui duas vezes. Na minha despedida de Roma, as 9h da manhã, lá estava eu comprando minha última casquinha da temporada, com lágrimas nos olhos tamanha a saudade que vou sentir desse sorvete.

O preço cobrado segue a oferta da cidade: 2 euros por 2 sabores. A diferença é que aqui a porção é mais generosa! Bem mais generosa…

| pistache e marotto (um perfeito gianduiotto) |

 

#I Caruso

Já foi minha sorveteria preferida (há uns 10 anos atrás) mas sempre que vou a Roma eu desvio a rota para visita-la. Tradição ou saudosismo, não sei…

Em minha última visita o sorvete estava com bastante cristal de gelo e molengo. O atendimento foi bem ruim e a sorveteria, que fechava 1h da manhã já estava entregando os pontos (ainda eram 22h quando cheguei).

Mesmo assim a I Caruso conseguiu me transportar para minha primeira visita a Roma. Esse retorno ao passado fez com que eu me lembrasse da Joyce de 25 anos e do dia em que conheci e me apaixonei por essa sorveteria. O sorvete de zabaglione continua sendo o melhor da cidade. E o de pistache, apesar de muitas novas sorveterias já o terem superado, continua saboroso! Minha nova opção de sabor foi o de café: amargo, porém interessante.

A sorveteria oferece uma quantidade discreta de sabores, todos tampados (como na Cremilla), garantindo maior controle da temperatura e evitando a oxidação do sorvete. Hoje a I Caruso abriu diversas lojas por Roma ficando mais próximo ao centro histórico. Acabei indo conhecer a unidade da Via Federico Cesi, no Prati, para aproveitar a proximidade com a Neve di Latte. Mas ainda assim acho que você, se quiser conhecer os gelatos da velha guarda, deve ir na unidade da Via Collina.  Aproveite para conhecer também a Comme il latte.

O valor do gelato é o mesmo sugerido na maior parte das sorveterias: 2 euros por 2 sabores, independente de ser no cone (não é feito na casa e é bem ruinzinho) ou no copinho.

| zabaglione, pistache e café |

Agora me conta, qual o melhor gelato de Roma na sua opinião?

 

Que tal aprender mais?

2 Comentários

  • Reply Daphne Carminati 30 de outubro de 2018 at 22:02

    Que delicia seu blog! Menina vc não pode deixar de escrever não! A gente vija junto!

  • Deixe seu comentário