CLÁSSICOS, CONFEITARIA

Crêpe Suzette

3 de agosto de 2015

A lendária receita de Crêpe Suzette é atemporal! O segredo é preparar crêpes fininhos que serão dobrados e embebidos sobre uma calda de laranja e então, flambados.

| Serve: 2 pessoas | Rendimento: 6 unidades | Tempo de preaparo: médio | Validade: imediata |

 

Pâte à crêpe

1 unidade / 50g ovo
1 ¼ xícara (chá) / 300mL leite integral
3 colheres (sopa) / 30g manteiga sem sal derretida
¾ xícara (chá) / 100g farinha de trigo
1 ½ colher (sopa) / 20g açúcar refinado
¼ colher (chá) / 1g sal
1 colher (sopa) / 15mL licor de laranja (Cointreau ou Grand Manier)

1. Em uma tigela junte a farinha de trigo, açúcar e sal. Misture.

2. Adicione o leite, ovo e licor de laranja, misture com o auxílio de um fouet. Por fim adicione a manteiga derretida e homogeneíze.

3. Em uma frigideira aquecida pincele um pouco de manteiga e coloque ½ xícara (chá) de massa. Rode no ar envolvendo todo o fundo da frigideira com a massa. Quando as bordas começarem a se soltar vire o crêpe e doure dos dois lados.

4. Reserve em um prato.

 

Beurre Suzette

¼ xícara (chá) / 50g açúcar refinado
Raspas de 1 laranja
¾ xícara (chá) + 1 colher (sopa) + 1 colher (chá) / 200mL suco de laranja (ou tangerina)
2 colheres (sopa) / 30mL licor de laranja (Cointreau, Grand Manier ou Curaçao)
¼ xícara (chá) / 50g manteiga sem sal
Supreme de 1 laranja

1. Junte o açúcar e as raspas de laranja em um processador, ou liquidificador. Processe até o açúcar ficar alaranjado e perfumado. Peneire e reserve para uso.

2. Em uma frigideira larga adicione o suco de laranja e açúcar. Leve ao fogo médio até formar uma calda fina – 98 a 101 °C. Desligue e adicione a manteiga gelada cortada em cubos, aos poucos, mexendo com um fouet, até homogeneizar.

3. Adicione um crepe aberto e envolva-o na calda, então dobre-o ao meio e novamente ao meio. Repita o processo com os demais crepes.

4. Adicione os supremes de laranja e o licor. Flambe (para saber mais sobre essa técnica, clique aqui).

5. Sirva a seguir.

A origem do Crêpe Suzette

Dizem que o autor da receita foi Escoffier, que criou o crêpe Suzette em honra à Eduardo VII (1841-1910) – o rei galanteador e glutão da Inglaterra – e o nome em homenagem à uma vendedora de violetas pela qual teria se apaixonado.

Outros dizem que a receita de panquecas perfumadas com suco de laranja (ou tangerina) e flambadas com licor teria surgido por acaso, pelas mãos do chef francês Henri Carpentier (1880-1961) – conforme o próprio afirma em sua bibliografia Life à la Henri (Simon & Schuster, 1934). Segundo consta em seu livro, em janeiro de 1896, no Le Café de Paris, em Monte Carlo, estava preparando a sobremesa em um réchaud atendendo ao pedido do príncipe de Gaules – futuro rei Eduardo VII – quando o molho pegou fogo acidentalmente. Sem perder a compostura, dobrou os crepes duas vezes e serviu ao príncipe, que após ter apreciado a sobremesa perguntou pelo nome. Henri por sua vez havia revelado que acabará de criar a sobremesa e poderia então nomeá-la de crêpe princesse.

O príncipe e futuro rei apontando para a sua acompanhante, uma bela vendedora de violetas, contradisse o chef é o alertou: “não, o nome será crêpe Suzette. ”

A Larousse Gastronomique duvida da versão de Carpentier, pois na época, com 14-16 anos não teria idade tampouco experiência para servir a um príncipe. Já Escoffier faz menção à sobremesa em seu livro Le Guide Culinaire, de 1903 – mas não revela a autoria.

Uma última versão, de León Daudet, escritor e jornalista parisiense, em seu livro Paris Vécu, de 1929, diz que a origem dos crêpes suzette pertencem ao restaurante Marie, e data do final do século 19 – recheados com presuntos e curtidos em brandy.

REFERÊNCIAS

ESCOFFIER, Auguste. Le Guide Culinaire. FLAMMARION-FRANCE, 2009.

Lopes, J.A. Dias. O rei galanteador que adorava crepes. O Estado de São Paulo. Caderno Paladar: São Paulo.
Larousse Gastronomique. Prosper Montagné, 2001.

Que tal aprender mais?

Sem comentários

Deixe seu comentário