CONFEITARIA, ESPECIAIS, FESTA JUNINA, POR MAIS DIAS COM BOLO

Mané pelado | Bolo de mandioca de tabuleiro

25 de junho de 2015

Mandioca, coco e queijo formam o trio perfeito nesse bolo cremoso feito tradicionalmente em tabuleiro e vendido em fatia. É um doce que não pode faltar nas festas juninas de Minas Gerais e Goiás, tem um nome curioso que homenageia um agricultor imaginário que – por superstição ou puro exibicionismo – colhia mandiocas… pelado!

Serve: 12 a 15 pessoas | Tempo de preparo: rápido

1Kg mandioca crua ralada
1 ½ xícara (chá) / 200g queijo Canastra ralado (pode substituir pelo meia cura)
200g / 4 ovos médios
2 xícaras (chá) / 400g açúcar refinado
1 xícara (chá) / 100g coco em flocos
2 colheres (sopa) / 24g manteiga derretida
2 ¾ xícara (chá) / ± 700mL leite integral
¾ colher (chá) / 3g sal
sementes de erva doce, a gosto (opcional)
manteiga e farinha de trigo para untar a fôrma, quanto baste

1. Pré-aqueça o forno a 180 °C. Unte um tabuleiro de 33x22cm com manteiga (use um pincel para fazer uma camada bem fina de manteiga) e polvilhe farinha de trigo. Retire o excesso virando a forma de cabeça para baixo e dando batidinhas.

2. Descasque a mandioca e rale, no ralo grosso. Esprema com as mãos para retirar o excesso de amido e reserve.

3. Rale o queijo, também no ralo grosso, e junte à mandioca ralada.

4. Em uma tigela junte o açúcar com os ovos (quebre um ovo de cada vez e transfira para a tigela – se um estiver estragado você não perde a receita), a manteiga e misture até obter uma massa homogênea. Se preferir, bata no liquidificador. Junte o leite, mandioca, queijo, erva doce, coco ralado e misture com o auxílio de uma colher.

5. Coloque a massa no tabuleiro e leve ao forno por aproximadamente 1 hora. O bolo estará pronto quando ficar dourado no topo.

6. Retire o bolo do forno e sirva morno ou frio, direto do tabuleiro, simples assim!

Dicas da Joyce

Esse é um bolo super brasileiro, tupiniquim mesmo, especialmente pelos ingredientes – mandioca e queijo Canastra – que é um queijo mineiro, da Serra da Canastra, com origem controlada e patrimônio cultural imaterial brasileiro!!! Quanto orgulho!

É importante saber escolher a mandioca: a cor deve ser branca e homogênea, sem manchas escuras ou amarelas (mandioca venenosa!) e com bastante umidade, que é comprovada pelo casca se soltando com facilidade! E o queijo tem que ser Canastra – que já pode ser encontrado com facilidade em todo o Brasil, para nossa felicidade, pois é um queijo delicioso! Tá bom, tá bom… para quem não é de Minas, se não achar o Canastra (depois de ter procurado muito hein!?), pode substituir pelo queijo meia cura – mas já aviso, o sabor muda compleeeetamente! 😉

E a graça desse bolo está em ser feito e servido no tabuleiro, como na “barraca da fatia” nas comemorações juninas, de Minas Gerais!!!

Não contém glúten, e para intolerantes à lactose, substitua o leite, por leite de coco. Ou, para quem quiser um saborzinho a mais de coco, substitua parte do leite.

Se quiser um bolo mais ‘cremosin’ diminua a quantidade de mandioca e leite pela metade!

Curioso para saber por que o bolo se chama Mané Pelado? Saiba a história do bolo clicando aqui.

Que tal aprender mais?

Sem comentários

Deixe seu comentário